Adobe abandonará Creative Suite e se focará no modelo de negócios de assinaturas, através da Creative Cloud
creative-cloud

Adobe abandonará Creative Suite e se focará no modelo de negócios de assinaturas, através da Creative Cloud

O fim de uma era chegou. Ontem, durante o evento MAX, a Adobe informou que adandonará a Creative Suite — a qual está à venda desde 2003 — e focará todos os seus esforços na Creative Cloud.

Isso quer dizer que a gigante de softwares não irá mais comercializar licenças de produtos individualmente, migrando totalmente para o modelo de assinaturas, no qual o usuário paga uma taxa mensal e tem direito a utilizar os softwares da empresa. A Creative Suite 6 continuará existindo e sendo vendida, contudo receberá apenas atualizações de segurança, correções de bugs e compatibilidade com sistemas operacionais. Depois dela, não existirá mais CS — não espere uma Creative Suite 7 chegando por aí.

No primeiro esforço nessa direção, em junho a Adobe lançará novas versões de seus principais softwares, todos rebatizados com um sobrenome “CC” (Creative Cloud): Photoshop CC, InDesign CC, Illustrator CC, Dreamweaver CC, Premiere Pro CC, entre muitos outros.

Sem dúvidas a Adobe acredita que essa é a melhor forma de combater a pirataria de seus softwares, resta agora nós torcermos para que os preços das assinaturas no Brasil sejam iguais aos lá de fora.

Preços

Planos domésticos:

Upgrade para quem tem a CS3 ou superior: US$30/mês.
Upgrade para quem tem a CS6: US$20/mês.
Assinatura da Creative Cloud (todos os aplicativos): US$50/mês.
Assinatura de apenas um aplicativo (Photoshop CC, por exemplo): US$20/mês.

Planos corporativos:

Upgrade para empresas que têm a CS3 ou superior: US$40/mês, por usuário.
Assinatura da Creative Cloud (todos os aplicativos): US$70/mês.

Planos para estudantes

Assinatura da Creative Cloud (todos os aplicativos): US$20/mês.
Assinatura da Creative Cloud para equipes (todos os aplicativos): US$40/mês, por usuário.

Novidades nos softwares

06-logo-photoshop-cc

O Photoshop CC agora passa a ter somente uma versão (nada de versão normal e estendida), além de ganhar melhorias nas ferramentas sharpening e healing com os novos recursos Camera Shake Reduction, Smart Sharpen e Advanced Healing.

Já o Illustrator CC ganhará o Touch Type (manipulação de caracteres individuais), novidades nas ferramentas de pincéis Art, Pattern e Scatter, sincronização de fontes Typekit e geração de CSS para ícones, patterns e logos com suporte a gradientes, entre outras coisas.

khfuBVE

O InDesign CC receberá suporte à arquitetura de 64 bits, uma nova interface com suporte a gráficos HiDPI (preparado para telas Retina) e um criador de códigos QR. Já as novidades para o Dreamweaver CC incluem recursos de criação de CSS para gradientes e sombras, melhorias nos layouts de grades e um widget jQuery UI, enquanto o Premiere Pro CC trará uma linha do tempo redesenhada, um recurso Link & Locate (que ajuda na tarefa de localizar clips rapidamente), sincronização com a Creative Cloud e mais.

Outros produtos também ganharam novidades, mesmo que poucas. O Download Manager foi repensado; o Muse CC ganhará edição dentro do navegador; o InCopy CC agora fará parte da Creative Cloud e ganhará uma nova interface; o Kuler existirá na forma de serviço web e aplicativo nativo para iPhone (com recurso de sincronização de cores); o Adobe Ideas passará a ser gratuito; o Flash Professional CC ganhará suporte a arquitetura de 64 bits e exportação em alta definição; o Edge Animate CC incluirá motion paths e templates personalizados; o Edge Reflow Preview 3 contará com gerenciamento de recursos e integração com Typekit; o After Effects CC incluirá uma nova ferramenta Refine Edge, fluxos de trabalho em 3D integrados ao Cinema 4D, Warp Stabilizer VFX e sincronização; o Audition CC incluirá um novo Sound Remover, Preview Editor e Multitrack Editing; entre outras novidades.

Esse meio de ano promete!

[via The Next Web: 1, 2]

Leia Também:

Deixe Seu Comentário: