Porque Participar de Eventos de Marketing Digital e Como Escolher os Melhores
13-06

Porque Participar de Eventos de Marketing Digital e Como Escolher os Melhores

Participar de bons eventos, congressos e feiras pode ser muito importante na formação de um profissional de marketing digital.

Chega uma hora que você percebe que precisa ouvir outras pessoas, conhecer casos de sucesso e de fracasso também, pois, ao pegar emprestado a experiência de terceiros, você pode economizar tempo e evitar problemas. Eventos de marketing digital são ótimas oportunidades para trocas de experiências e de contatos, mas é necessário ter critério ao escolher de quais valem a pena participar. Você deve estudar a diferença entre os tipos de congresso e de palestrantes, a fim de selecionar melhor que eventos podem auxiliar em sua carreira ou negócio.

Tipos de congresso e palestras

Quanto ao conteúdo, os eventos podem ter diversos tipos de enfoques e essas diferenças não significam necessariamente que um modelo seja melhor ou pior que o outro. Primeiramente, é necessário entender que todo evento é uma apresentação, mas é também uma venda. Custa muito montar a estrutura de um congresso e esse investimento tem que retornar de alguma forma. O problema existe apenas quando a campanha de vendas parece ter importância maior que a oferta de informação. Cada modelo tem a sua importância, tudo depende da fase de conhecimento em que o participante se encontra. Os eventos podem ser classificados de acordo com o conteúdo ou a forma que este é apresentado em:

Abundância de Informação (overwhelm) – Para overwhelm não me ocorre nenhuma tradução literal, seria algo relacionado com abundância, excesso de informação, podendo ser negativo ou positivo, no nosso caso, algo como uma oferta abundante de conteúdo. As apresentações oferecem muito conteúdo e o palestrantes não têm medo de informar. A “venda” se dá porque você recebe tanta informação que pode acabar considerando que as providências são tantas e, por vezes tão complexas, que é melhor contratar o palestrante ou quem preste o serviço.

Venda Forçada (sales pitch) – Estão mais para apresentações de vendas do que transferência de conhecimento e tendem a apenas apresentar produtos ou serviços do palestrante. A palestra toda encaminha para mostrar a necessidade de se comprar livros ou serviços do palestrante para seu negócio progredir. Esse tipo de palestra normalmente só serve se você quiser aprender a vender por meio de palestras…

Conteudistas – São as mais comuns, uma mistura de palestra e pequeno curso. Os palestrantes discorrem sobre assuntos diversos e ao final do evento aprendeu-se muito. Cabe aqui uma observação, é importante analisar o mix de assuntos do evento. Procure participar de eventos ou que fecham um tipo de estratégia – várias palestras de tópicos importantes de SEO – por exemplo, ou eventos de mesmo nível e assuntos complementares, como conceitos básicos de diversas estratégias. No primeiro tipo, você aprenderá bastante sobre um determinado assunto, ao passo que no outro você terá noções básicas de várias estratégias. Novamente, a escolha deve se basear no nível de conhecimento.

Feiras – Você conhece produtos e serviços novos, por meio de pessoas que sabem apresentar de forma competente suas possibilidades. Além de instrutivas, ainda são excelentes para networking. A convivência com pessoas que estão passando por momentos como o seu cria o ambiente perfeito para parcerias e auxílio mútuo. Você também pode buscar contatos para representar os produtos da feira.

Tipos de palestrante

Há, também, vários tipos de palestrantes. Cada pessoa aprende de um jeito e certamente há palestrantes para todos os gostos. Aqui, a análise tem que ser mais firme, pois você tem que sair do evento com mais conhecimento do que entrou. A maioria dos palestrantes publicam trechos em vídeo de suas palestras anteriores. Analise em que perfil eles se encaixam e quais você considera interessantes. Os palestrantes podem ser:

Medrosos - Têm pudor de transmitir, e ficam só na ameaça. “Ah se você soubesse o que eu sei…” Normalmente são bem sucedidos em sua prestação de serviços e não pretendem formar concorrentes. Escrevem livros, preparam cursos, mas ao fim destes sempre se sai com aquela sensação de que está faltando alguma coisa. Falam bem e utilizam bem estratégias de marketing pessoal.

Lentos – Até sabem fazer, mas não sabem ensinar. Você percebe que a pessoa domina o assunto, mas lhe é difícil transferir conhecimento, mesmo sendo bem intencionada. Como tempo não é abundante em eventos, a lentidão torna-se um problema.

Vendedores – Eles têm livros, cursos online, representantes e toda uma gama de produtos. A finalidade de cada palestra ou curso é vender o próximo produto.

Professores – São os que realmente transmitem conhecimento. Eles têm experiência, dominam o assunto, sabem transmiti-lo adiante com competência e têm a disposição de fazê-lo.

Dicas para aproveitar melhor um evento

Há providências antes, durante e depois do evento que permitem que você aproveite melhor sua participação em cursos presenciais, congressos e palestras. Algumas dicas são:

-Não chegue completamente zerado em um evento. Leia muito e conheça antecipadamente os palestrantes. Assim, você poderá aprofundar discussões e fazer perguntas pertinentes.

-Prepare suas estratégias de networking. Leve cartões e se for o caso, apresentações impressas de produtos ou serviços seus. Tente prever quem deve ir ao evento. Identifique as que lhe interessam contatar, pesquise sobre elas para ter assunto e “ensaie” seu “discurso de apresentação”. Esteja preparado para atrair a atenção dos seus contatados.

-Vá em pares ou grupo. Muitos eventos têm mais de uma palestra no mesmo horário. Assim você pode ir para uma e seu colega à outra. Defina a priori que palestras cada um assistirá.

-Anote tudo para evitar esquecer o que lhe interessou. Indico uma ferramenta incrível, uma caneta digital chamada Pulse Smart Pen, da Livescribe, algo que se tornou indispensável para mim. Ela grava, vincula sons a anotações, tem aplicativos, um software desktop que permite trabalho colaborativo e muito mais. Conheça, pois vale a pena.

-Chegue em casa ou no escritório e procure usar as boas ideias que anotou em no máximo 15 dias. Tenho anotações interessantes há mais de 5 anos que nunca viraram ações… Se as ações demorarem, o aprendizado cai no buraco negro do adiamento.

-Entre em contato com as pessoas que conheceu. Um e-mail educado pode ser a diferença entre fechar ou não uma parceria.

-Alterne os assuntos dos eventos em que participa. Você assimila mais e melhor dessa forma.

Eventos no Exterior

Conforme vai se conquistando experiência e, logicamente, se você domina o idioma, você pode pensar em participar de eventos no exterior. O Brasil cresceu fortemente em termos de marketing digital nos últimos anos, mas o mercado americano, principalmente, ainda é o principal polo de novas estratégias e possibilidades. É uma boa opção participar de bons eventos no exterior, porém, é ingenuidade pensar que qualquer evento lá supera os daqui. Há muitos eventos ruins lá também. Outra observação é que o mercado brasileiro tem suas peculiaridades e as diferenças culturais obrigam que tudo que você aprenda lá fora seja adaptado para funcionar por aqui.

A principal diferença é de foco. Brasileiros adoramos personalidades, um keynote speaker de peso, o que é totalmente normal. Essa pessoa, por mais competente que seja, pode não ter uma mensagem adequada ao seu negócio, ao tamanho ou momento dele. Nos EUA, em se tratando de marketing digital, o enfoque é diferente. Os eventos de destaque lá são voltados para as pequenas e médias empresas e, muito, também para empreendedores individuais. Muitas vezes, ilustres desconhecidos, com boas ideias e métodos relativamente simples, têm ótimas histórias de sucesso para contar. Nesse tipo de evento parece que o aprendizado fica mais próximo de se tornar uma ação real do que em outros. Vale a pena participar de palestras em outros países para conhecer esses outros enfoques e possibilidades.

Via marketingdigital.com.br | por Alex Moraes

Leia Também:

Deixe Seu Comentário: