SEO: pesquisa revela as técnicas para vencer no Google
website-edit-2

SEO: pesquisa revela as técnicas para vencer no Google

A empresa BusinessBolts publicou os resultados de uma pesquisa de técnicas de SEO (otimização de sites) com o objetivo de identificar as características das páginas web com melhor visibilidade nas páginas de resultados do Google.

Metodologia
A amostra de páginas analisadas foi selecionada utilizando 100 frases de busca aleatórias, variando de 2 a 6 palavras, e coletando os URLs dos primeiros 5 resultados que apareceram na página. Do total analisado, 88% eram páginas internas e apenas 12% eram páginas iniciais.

As pesquisas foram feitas usando o navegador web Firefox desconectado de qualquer serviço Google. Os anúncios do Google AdWords foram ignorados.

Fatores On-Page
Os fatores on-page coletados das páginas para análise foram os seguintes:

URL
Tag Title
Título principal (“Manchete”) da página
Número de subtítulos
Número de palavras visíveis para o usuário
Número de imagens
Número de vídeos
Número domínios que apontam para a página, obtido através do site ahrefs.com
Sinais sociais: Tweets, curtidas e compartilhamentos no Facebook, com dados também obtidos através do site ahrefs.com.

Resumo dos principais resultados

Título da página (Tag title): 50% das páginas que atingiram as primeiras 5 posições no Google apresentavam a frase de busca na tag title, sendo que 23% apresentavam correspondência exata.
Título principal da página (Manchete – tag H1): 43% do total continham a frase de busca no título principal e 20% tinham correspondência exata.
Subtítulos (tags H2-H6). Seis foi o número médio de subtítulos encontrados nas páginas analisadas. Muitas páginas muito bem posicionadas nos rankings não tinham sequer um subtítulo. Menos de 0,5% das páginas com ótimos rankings continham uma correspondência exata com a frase de busca nos subtítulos.
Quantas palavras? O número médio de palavras constantes na seção body das páginas da amostra foi 916, excluindo-se da contagem os cabeçalhos, barras laterais, menus de navegação e rodapés. A quantidade de correspondências exatas com as frases de busca no texto do corpo da página foi inferior a 0,5%, derrubando de vez o mito do “keyword density”.
Imagens e vídeos na página. O número médio de imagens nas páginas da amostra foi 7, embora muitas páginas não contivessem imagem alguma. O número médio de vídeos foi bastante inferior a 1, sendo que a maioria não apresentava vídeo algum.

Correlações

O estudo parece indicar uma correlação entre a boa posição nos rankings e a presença das palavras-chaves no título da página (tag title) e na manchete (H1).
Também parece haver uma correlação entre bons rankings e número de palavras na página, favorecendo as páginas com maior quantidade de texto.
A presença/ausência de imagens e vídeos parece não fazer diferença.

Fatores off-page (links)

Links e domínios. O estudo coletou informações sobre os domínios que contêm links para as 500 páginas web analisadas. Ainda que um mesmo domínio contivesse links em 300 páginas diferentes para a página analisada, ele foi contado como apenas um link.
Número de domínios. O número de domínios que se referia às páginas da amostra apresentou imensa variação, desde zero até dezenas de milhares. O número médio de links apurado no total da amostra foi de 335.
Páginas internas versus home-page. Em muitos casos, páginas internas apareceram em posições privilegiadas nos rankings mesmo com zero links apontando para elas. Investigando esses casos, a Business Bolt concluiu que, em sua maioria, essas páginas pertenciam a domínios com grande número de links para a página inicial. Esse fato sugere que é possível obter bons rankings melhorando a popularidade de links geral do site.
Tweets e curtidas. O número médio de vezes que as páginas da amostra foram objeto de tweets foi 371, a média de curtidas no Facebook foi 1512 e a média de compartilhamentos no Facebook foi 988.

Conclusões

É possível criticar a metodologia e até mesmo algumas conclusões do estudo. Entretanto, a disposição de adotar o método científico para abordar o problema do SEO (otimização de sites), isolando variáveis e procurando medir a sua correlação com os resultados pretendidos é infinitamente superior a todo o empirismo que o mercado vem publicando sobre SEO ao longo dos últimos anos.

A verdade que salta aos olhos nesse estudo é a que defendemos aqui desde 2007: a chave do sucesso em SEO é a combinação de conteúdo e divulgação, que se manifesta sob a forma de links em sites de terceiros, sejam sites próprios, blogs ou redes sociais.

Inclua conteúdo útil e atraente em seu site – inclusive vídeos e imagens – pensando nas pessoas com quem você deseja falar. Divulgue esse conteúdo intensamente, para que seja “curtido”, “compartilhado” e “linkado” ao redor da web e esse conteúdo crescerá aos olhos do Google.

Não há segredo. SEO é apenas marketing e comunicação. Os rankings no Google são apenas meios de conseguir o seu objetivo, não o objetivo em si mesmo. Comece a planejar suas ações com base nesse ponto de vista e os seus rankings breve começarão a melhorar.

By: gessicahellmann.com / Alex Oliveira

Leia Também:

Deixe Seu Comentário: